Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

daraopedal.pt

daraopedal.pt

22
Nov07

Passeio BTT em Cesar - Oliveira Azeméis - do grupo Sempreapedalar

daraopedal

Participei no 1º passeio BTT organizado pelo Grupo http://sempreapedalar.no.sapo.pt/

de Cesar - Oliveira de Azeméis. Foi um pouco por acaso que descobri que ia haver esse passeio. Talvez ainda não saibam que a melhor forma de divulgar passeios é utilizando o FórumBTT.

De qualquer maneira, lá compareci às 8h30 de domingo para pedalar.

Acabei por dar com o ponto de encontro com algumas dificuldades já que o nome não me diziam nada, mas quando soube que era junto à Igreja de Cesar, foi muito mais fácil.

Lá estavam vários betetistas que responderam à chamada, muitos dos quais tinham estado no passeio BTT da semana anterior em Vale de Cambra. Por volta das 9h deu-se a partida.

O grupo seguiu pela estrada em direcção a S. João da Madeira, e logo junto à Casa Azul, o pessoal virou por um pequeno carreiro em direcção aos trilhos (zona de Mato de Arca). Dois cavaleiros juntaram-se ao grupo. O que vale é que não seguiram connosco porque ia custar vê-los a passar por nós sem qualquer dificuldade.

Depois de uma zona de campo e estrada chegámos à zona de monte onde começou a parte divertida...

... muitas subidas e muito pó em direcção à zona do monte da Pedra Má.

O facto de não chover há bastante tempo deixou os caminhos muito poeirentos. Além disso, andaram a cortar madeira em várias zonas onde passámos, pelo que os caminhos ficaram com aquela camadinha de terra que já não é terra mas sim pó que fica no ar durante imenso tempo.

Mais uma subida onde muitos se apearam (desta vez aguentei-me melhor e fiz tudo a subir) e seguiu-se uma descida...

... para o pessoal se divertir um pouco.

Mais adiante, perto de Milheirós de Poiares, mais uma subida antes de uma descida muito boa e bastante rápida onde até deu para furar uma rede de uma propriedade, que a malta da organização levantou propositadamente para nós. Deu um gozo muito grande atravessar a estrada e passar debaixo da rede, sempre a abrir.

Um pequeno reagrupamento no meio do nada. Era ver a cara de felicidade (e pó) da malta depois da tal descida e da passagem debaixo da rede.

Continuou com muito pó e muitos trilhos no meio do nada já não fazia ideia por onde andava (Cesar, Milheirós de Poiares, S. João da Madeira ???)

A foto diz tudo sobre o pó que andava no ar. Até tive de parar para limpar uma camada de terra dos óculos , quase que dava para cultivar alguma coisa nas lentes.

Mais um final de uma descida técnica que fez as delícias do pessoal. Obviamente que em descidas dessas não há quem pare para tirar fotos ;-)

O reagrupamento na zona de Outeiro para o reforço com barrinhas e água para todos.

Alguns estavam aborrecidos com as biclas e acabaram por arranjar um estacionamento original para as encostar.

O grupo seguiu então para a zona das Minas do Pintor. Nesta foto, não dá para ver mas é impressionante a quantidade de lixo que estava amontoada nessa zona ao longo de centenas de metros. Desde sanitas, restos de peles de cortumes, entulho de obras, velhos electrodomésticos. Impressionante a estupidez das pessoas.

Outra foto da mesma zona das Minas do Pinto, com as chaminés em pano de fundo. O percurso continuou pelas localidades de "Terças" até Macieira de Sarnes, Mirões e Gandra...

... até chegar novamente a Cesar. O pessoal parou perto da Casa do Povo de Cesar e muitos aproveitaram para voltar para a Igreja que ficava muito perto e ir embora sem fazer a segunda parte do percurso.

O percurso foi depois por Travasso e Pinheiro e aí começou a parte dura! Um bruta subida pela Serra do Pinheiro acima. a subida foi longa, lenta e penosa. Depois de cada curva surgia uma nova subida! Mas consegui fazer tudo. Custou bastante, pois não estou em forma mas o facto de ter sido a meio do percurso fez com que eu conseguisse pedalar sempre, sem desmontar.

No fim da subida, o grupo tentava retomar o fôlego. Depois foi uma descida brutal, bastante rápida e com muita areia solta que levou a diversas quedas. No fim da descida, houve quem afirmasse ter assistido a três tombos no mesmo local e a verdade é que chegou um betetista com o guiador completamente empenado. Deve ter sido um tombo e pêras!

No fim da descida, o pessoal parou junto à fonte. Ainda tive de ajudar a mudar uma câmara de ar, furada por um raio partido. Isso diz bem da dureza da descida.

O que vi que me desagradou foi algum pessoal que fica demasiado excitado com as descidas e que perde qualquer noção do perigo que corre e que faz correr aos outros. Numa zona dessa descida onde seguia dois outros betetistas mais lentos e onde só havia uma zona muito estreita "boa" para descer, um fulano veio atrás de nós, sempre a abrir, e sai-se com um "Saiam do caminho!". Passei-me! A lata de alguns! É impressionante. Já aplicam nos caminhos do monte a mesma arrogância e egoísmo que aplicam certamente ao volante das nossas estradas. Acho que há muita malta que não tem noção do que pode acontecer numa queda de BTT. Eu já tive a minha dose e já perdi por duas vezes, vários meses em fisioterapia para recuperar de mazelas do BTT. Há que ter uma bocado de civismo e respeitar os outros!

No final o regresso e passagem diante da Igreja de Cesar.

O gráfico de altimetria onde se destaca a subida à Serra do Pinheiro.

O mapa do percurso.

Dou os meus parabéns à organização, que não falhou em nada. Estavam sempre presentes em todos os cruzamentos, sempre a assinalar as mudanças de direcção. acho que houve uma pequena confusão em relação à zona do reabastecimento, mas nada de mais. Espero que voltem a repetir em breve.

Boas pedaladas

Daraopeal