Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

daraopedal.pt

daraopedal.pt

26
Out06

Relato de um convidado do Blog

daraopedal

A ideia do blog é divulgar os caminhos de BTT que percorro. Parece que acabou por dar frutos! Outros betetistas acabaram por fazer um desses percursos e mandaram-me o seu relato que publico aqui na íntegra. Espero que seja o início de uma colaboração que traga novas propostas de aventuras para este blog.

Fica aqui o convite: quem quiser divulgar percursos, é só entrar em contacto comigo via e-mail. Este blog é um "work in progress" e pode evoluir no sentido de ser um site para divulgar não só os meus, mas também os percursos de outras pessoas.

Fica então aqui o relato do Betetista ATavares.

Boas pedaladas

Daraopedal

Uma outra perspectiva do percurso Sra. da Mó – Gamarão – Santo Adrião
Este é um percurso já relatado neste blog, mas visto por outros olhos...no entanto penso que a opinião final não será muito diferente. Por este mesmo motivo, e porque este relato apenas foi pensado depois da volta estar concluída, não vão ser feitas muitas descrições acerca do percurso (falta esta que pode ser facilmente suprida por uma nova leitura do post de 15 de Julho 2006). Esta volta iniciou-se no sítio do costume, em frente aos Bombeiros Voluntários de Arouca e fez-se a já habitual subida ao monte da Sra. da Mó, sempre por estrada. 
Lá no alto, optámos pela descida (também ela habitual) já em terra que termina na estrada nacional que liga Arouca a Alvarenga. Aí fizemos apenas cerca de quinhentos metros nessa estrada no sentido ascendente e cortámos à esquerda no sentido de Castelo de Paiva. Aqui surgem as primeiras dificuldades...a subida é curta mas muito íngreme...revela-se a parte mais difícil até então...mas em pouco tempo se supera e depois de ultrapassada esta subida há duas hipóteses: uma delas é seguir sempre por estrada até aparecer o corte para o monte de Santo Adrião, a outra que fizemos, não é muito diferente, mas obriga a cortar à direita junto ao corta-fogo da Vista e fizemos uns quantos corta-fogos muito inclinados e com muita pedra (consequência das chuvas intensas dos últimos dias).

Como não se pode descer sempre, o retorno à estrada foi feito por um caminho improvisado e que por vezes nem o parecia ser... 

Daqui em diante, penso que a volta tenha sido muito idêntica à já colocada neste Blog...as descidas de Santo Adrião até ao lago são alucinantes, com várias partes onde se procura manter a velocidade mais baixa possível para não perder a bicicleta ....

A surpresa do dia foi junto do lago onde havia muita água, e onde fizemos alguns metros mesmo no rio...bestial!!!! (Especial atenção para quem levar pedais de encaixe, pois pode tomar um banho integral não premeditado)

Depois o retorno foi feito pela estrada que dá acesso a Santo António, e com a chuva a começar a aparecer, foi custoso...até porque os km’s já começavam a ser bastantes.
Conclusão: um muito bom passeio, muito técnico, com muita pedra e algum esforço...digamos que tem tanto de técnico como de apetecível...aquele momento em que se pára antes de entrar no corta-fogo (tantas vezes repetido neste passeio)...é qualquer coisa!!! 
23
Out06

BTT - Tôr - Circuito do caminho do Morgado

daraopedal

Algumas imagens da voltinha deste fim-de-semana. Existe em Tôr (Loulé) um circuito de BTT muito engraçado. Apenas percorri uma pequena parte. O percurso é muito engraçado, com um piso bom e fácil, mas também com algumas zonas bem técnicas e descidas bem íngremes.

O circuito começa junto à ponte romana de Tôr e aprovetei o facto do leito do rio estar seco para descer ao seu leito e passar por debaixo da ponte.

Pedalar num leito seco de um rio é muito engraçado, o piso é um bocado difícil (pedras enormes) e ideal para furar, mas correu bem :-)

A vegetação é muito particular, típica da região do Algarve.

A antiga casa do Morgado (pelo menos acho que se chama assim) é espectacular. Se fosse alvo de uma recuperação, criava-se uma propriedade espectacular. Mas não me sai o Euromilhões... :-(

Nesta zona, é possível encontrar muitos medronhos que são utilizados para produzir aguardente.

Este trilho é uma descida daquelas muito à frente: selim o mais baixo possível e travagem controlada para descer devagarinho sem passar por cima do guiador :-) Um espectáculo!!!

Travessia de rio

Um espectáculo único: um rebanho a pastar junto ao rio e montes de aves (acho que eram garças) pousadas no seu meio, alumas até no dorso de algumas ovelhas...

 Um circuito sem dúvida muito divertido mas que tenho de descobrir melhor. Afinal dos 23 km assinaldos, acabei por fazer apenas pouco mais de uma dezena.

Boas pedaladas

Daraopedal

16
Out06

Daraopedal em Salir

daraopedal

Tal como disse há uns tempos, o “daraopedal” mudou (temporariamente) de região. Passou para o Algarve, mais precisamente para a zona de Loulé - Salir, na serra algarvia.

Será a partir desta zona, onde o BTT tem muitos adeptos e até campeões (o clube de BTT de Loulé), que continuarei a postar os meus percursos. As orientações serão menos precisas, visto que esta é uma região que não conheço, que vou pouco a pouco descobrindo… Pelo menos vou colocar aqui ilustrações dos percursos.

As paisagens são agradáveis e óptimas para a prática da modalidade, mas não têm nada a ver com Arouca.

O próprio terreno é diferente: uma terra avermelhada e muita pedra solta.

A vegetação também é muito diferente da do norte do país a que estou habituado.

Mas um trilho é sempre um trilho!

Boas pedaladas
Daraopedal