Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

daraopedal.pt

daraopedal.pt

24
Nov07

Sexo com quê?!?!?!?

daraopedal
Sabia que a bicicleta era óptima para substituir meios de transportes poluentes como o carro, o que não sabia era que havia gente que a utilizava para substituir outras coisas
Tudo bem que há por aí uma marca de bicicletas todo o terreno com um nome... hummm ... digamos, duvidoso!
Mas daí até chegar à situação desta notícia! Épaaaa, calma aí!!!!!

 


Notícia de 2007/11/15

Condenado por fazer sexo com bicicleta - Simulação do acto sexual com transporte levou a uma pena de três anos de prisão. O britânico Robert Stewart foi condenado a três anos de prisão em regime aberto depois de ser apanhado a fazer sexo com uma bicicleta onde morava, na Escócia, escreve a BBC Brasil. Stewart , de 51 anos, admitiu ter agido de maneira inapropriada, simulado sexo e violado a paz com uma ofensa sexual e teve seu nome incluído no cadastro de pessoas condenadas por crimes sexuais, que inclui violadores e pedófilos. O britânico foi denunciado após as encarregadas de limpeza do Aberley House Hostel , um abrigo do governo que acomoda pessoas que não têm onde viver, o apanharam com a bicicleta e pediram ao gerente que chamasse a polícia.

«Elas bateram à porta do quarto diversas vezes e não houve resposta. Então usaram a chave-mestra para abrir a porta e depararam-se com o acusado que tinha vestido apenas uma camisa, nu da cintura para baixo», disse o promotor Gail Davidson ao tribunal.

«O acusado estava a mexer os quadris para frente e para trás, simulando o acto sexual», concluiu.

Na sentença, o juiz Colin Miller afirmou que «em quase quatro décadas trabalhando com a lei, achava que tinha visto todo tipo de perversão conhecido pela humanidade, mas esta era nova. Nunca tinha ouvido falar de um tarado por bicicletas».


 

A notícia original está aqui ou aqui também.

22
Nov07

Passeio BTT em Cesar - Oliveira Azeméis - do grupo Sempreapedalar

daraopedal

Participei no 1º passeio BTT organizado pelo Grupo http://sempreapedalar.no.sapo.pt/

de Cesar - Oliveira de Azeméis. Foi um pouco por acaso que descobri que ia haver esse passeio. Talvez ainda não saibam que a melhor forma de divulgar passeios é utilizando o FórumBTT.

De qualquer maneira, lá compareci às 8h30 de domingo para pedalar.

Acabei por dar com o ponto de encontro com algumas dificuldades já que o nome não me diziam nada, mas quando soube que era junto à Igreja de Cesar, foi muito mais fácil.

Lá estavam vários betetistas que responderam à chamada, muitos dos quais tinham estado no passeio BTT da semana anterior em Vale de Cambra. Por volta das 9h deu-se a partida.

O grupo seguiu pela estrada em direcção a S. João da Madeira, e logo junto à Casa Azul, o pessoal virou por um pequeno carreiro em direcção aos trilhos (zona de Mato de Arca). Dois cavaleiros juntaram-se ao grupo. O que vale é que não seguiram connosco porque ia custar vê-los a passar por nós sem qualquer dificuldade.

Depois de uma zona de campo e estrada chegámos à zona de monte onde começou a parte divertida...

... muitas subidas e muito pó em direcção à zona do monte da Pedra Má.

O facto de não chover há bastante tempo deixou os caminhos muito poeirentos. Além disso, andaram a cortar madeira em várias zonas onde passámos, pelo que os caminhos ficaram com aquela camadinha de terra que já não é terra mas sim pó que fica no ar durante imenso tempo.

Mais uma subida onde muitos se apearam (desta vez aguentei-me melhor e fiz tudo a subir) e seguiu-se uma descida...

... para o pessoal se divertir um pouco.

Mais adiante, perto de Milheirós de Poiares, mais uma subida antes de uma descida muito boa e bastante rápida onde até deu para furar uma rede de uma propriedade, que a malta da organização levantou propositadamente para nós. Deu um gozo muito grande atravessar a estrada e passar debaixo da rede, sempre a abrir.

Um pequeno reagrupamento no meio do nada. Era ver a cara de felicidade (e pó) da malta depois da tal descida e da passagem debaixo da rede.

Continuou com muito pó e muitos trilhos no meio do nada já não fazia ideia por onde andava (Cesar, Milheirós de Poiares, S. João da Madeira ???)

A foto diz tudo sobre o pó que andava no ar. Até tive de parar para limpar uma camada de terra dos óculos , quase que dava para cultivar alguma coisa nas lentes.

Mais um final de uma descida técnica que fez as delícias do pessoal. Obviamente que em descidas dessas não há quem pare para tirar fotos ;-)

O reagrupamento na zona de Outeiro para o reforço com barrinhas e água para todos.

Alguns estavam aborrecidos com as biclas e acabaram por arranjar um estacionamento original para as encostar.

O grupo seguiu então para a zona das Minas do Pintor. Nesta foto, não dá para ver mas é impressionante a quantidade de lixo que estava amontoada nessa zona ao longo de centenas de metros. Desde sanitas, restos de peles de cortumes, entulho de obras, velhos electrodomésticos. Impressionante a estupidez das pessoas.

Outra foto da mesma zona das Minas do Pinto, com as chaminés em pano de fundo. O percurso continuou pelas localidades de "Terças" até Macieira de Sarnes, Mirões e Gandra...

... até chegar novamente a Cesar. O pessoal parou perto da Casa do Povo de Cesar e muitos aproveitaram para voltar para a Igreja que ficava muito perto e ir embora sem fazer a segunda parte do percurso.

O percurso foi depois por Travasso e Pinheiro e aí começou a parte dura! Um bruta subida pela Serra do Pinheiro acima. a subida foi longa, lenta e penosa. Depois de cada curva surgia uma nova subida! Mas consegui fazer tudo. Custou bastante, pois não estou em forma mas o facto de ter sido a meio do percurso fez com que eu conseguisse pedalar sempre, sem desmontar.

No fim da subida, o grupo tentava retomar o fôlego. Depois foi uma descida brutal, bastante rápida e com muita areia solta que levou a diversas quedas. No fim da descida, houve quem afirmasse ter assistido a três tombos no mesmo local e a verdade é que chegou um betetista com o guiador completamente empenado. Deve ter sido um tombo e pêras!

No fim da descida, o pessoal parou junto à fonte. Ainda tive de ajudar a mudar uma câmara de ar, furada por um raio partido. Isso diz bem da dureza da descida.

O que vi que me desagradou foi algum pessoal que fica demasiado excitado com as descidas e que perde qualquer noção do perigo que corre e que faz correr aos outros. Numa zona dessa descida onde seguia dois outros betetistas mais lentos e onde só havia uma zona muito estreita "boa" para descer, um fulano veio atrás de nós, sempre a abrir, e sai-se com um "Saiam do caminho!". Passei-me! A lata de alguns! É impressionante. Já aplicam nos caminhos do monte a mesma arrogância e egoísmo que aplicam certamente ao volante das nossas estradas. Acho que há muita malta que não tem noção do que pode acontecer numa queda de BTT. Eu já tive a minha dose e já perdi por duas vezes, vários meses em fisioterapia para recuperar de mazelas do BTT. Há que ter uma bocado de civismo e respeitar os outros!

No final o regresso e passagem diante da Igreja de Cesar.

O gráfico de altimetria onde se destaca a subida à Serra do Pinheiro.

O mapa do percurso.

Dou os meus parabéns à organização, que não falhou em nada. Estavam sempre presentes em todos os cruzamentos, sempre a assinalar as mudanças de direcção. acho que houve uma pequena confusão em relação à zona do reabastecimento, mas nada de mais. Espero que voltem a repetir em breve.

Boas pedaladas

Daraopeal

17
Nov07

Suporte GPS

daraopedal
Finalmente consegui arranjar maneira de fazer o suporte para colocar o GPS na bicla .
Com uma chapa de alumínio uns parafusos de orelhas, umas porcas e muita paciência do Senhor António, este foi o resultado!!

Segui as dicas do colega do Blog BTT do Minho ao Vouga para desenhar o esquema para a construção do GPS, no entanto foram necessárias umas alterações para arranjar maneira de segurar o suporte no avanço da bicla .

A solução encontrada foi uma chapa em "U" soldada na base do suporte.

Coloquei corticite para ficar bem apertado ao avanço e para absorver algumas vibrações. Também forrei o interior com uma espuma (utilizada para colocar nos pés das mobílias para não riscar o chão) no sentido de proteger um pouco mais o GPS dos choques.

Et voilá

Bem catita, não é?
Ainda terei de fazer alguns ajustes cortando a parte que tapa o visor e soldando umas coisas mas acho que deve estar pronto. Amanhã vou já testá-lo!
Um obrigado ao Nuno pela oportunidade de fazer isso e sobretudo ao Sr. António que teve a paciência e o perfeccionismo suficiente para nos aturar e fazer uma coisa tão boa!
Boas pedaladas
Daraopedal
16
Nov07

Passeio de S. Martinho Intercaima 2007 - Vale de Cambra

daraopedal

Finalmente um passeio para desenferrujar as pernas depois de tanto tempo sem fazer nada.

 

O pretexto foi o passeio de S. Martinho do grupo Intercaima de Vale de Cambra realizado no passado dia 11 de Novembro.

 

 

Ás 8h20 da manhã lá estava o Daraopedal no local combinado num dia que começou bem frio, com as primeiras geadas a deixarem marcas nos campos.

 

 

Muito pessoal também não queria faltar à chamada e iam chegando pouco a pouco ao local da concentração.

 

 

A espera ainda foi longa e o pessoal já estava a ficar impaciente cheio de vontade de aquecer, mas finalmente foi dada a partida. Foi uma verdadeira largada de mais de uma centena de betetistas .

 

 

Depois de passar a zona urbana das Dairas e a ponte sobre o rio Caima ...

 

 

... e a praia fluvial de Burgães.

 

 

Desde aí começou logo a subir até à zona da Aguincheira ...

 

 

... onde ainda piorou, e foi a vergonha generalizada! :-D Muita gente a apear-se e a levar a bicla à mão!

 

 

A subida... piorou e a verdade é que acabei por confirmar uma coisa que já suspeitava: não estou em forma! Pois é! Também eu acabei por ter de apear-me, e até sentar-me com tonturas. Já sei isso há muito tempo, mas mesmo assim ainda continuo a cair no mesmo erro: o esforço intenso sem aquecimento gradual dá cabo de mim! Mas depois de uma pausa, acabei por melhorar e voltar à subida que segundo os dados teve quase três quilómetros para 250 m de subidas acumuladas. Estou mesmo sem treino...

 

 

Entre os lugares de Gavião de Baixo e Gavião de Cima houve lugar a uma pequena passagem por um carreiro à antiga no meio de campos e debaixo de uma ramada que deu para umas fotos engraçadas. Cá está o pessoal a fazer bicha... perdão! A fazer fila! ;-)

 

 

O carreiro entre os pilares da ramada.

 

 

Outra perspectiva ainda.

 

 

Um pouco mais adiante, o percurso seguiu por uma zona florestal que tinha acabado de sofrer os efeitos dos estranhos incêndios de Outono que estão a flagelar um pouco todo o país este ano.

 

 

Os bombeiros ainda se encontravam no local e uma pouco mais longe era possível ver uma nuvem negra enorme que cobria o céu. Pedalar com o cheiro a fumo não é nada agradável.

 

 

O percurso cruzou o PR 2 de Vale de Cambra que liga S. Pedro de Castelões à Srª da Saúde. A partir daí foi quase sempre a descer, aatravessando a EN 328.

 

 

Uma zona muito agradável onde a vegetação alternavam entre os tons verdes das árvores de folha persistente e as zonas com árvores de folhas caducas como o castanheiro e as videiras que davam um colorido à paisagem digno de um dia de S. Martinho.

 

 

A passagem de uma linha de água (do rio Cambalhão?) quase seca, mas que, segundo ouvi, é bastante difícl de ultrapassar em invernos chuvosos.

 

 

Este foi das partes que mais gostei! Pedalar no meio de um campo em pousio. A vegetação alta quase que dissimulava os betetistas .

 

 

Onde está o trilhos? Fantástico!

 

 

Reabastecimento na zona de Casais. Aquela regueifa com coco estava um espectáculo!

 

 

Antes de chegar à zona do lugar de Barbeito, a malta atalhou pelo meio duns campos e ainda valeu uma travessia numa ponte de madeira não recomendável a mais de meio betetista! Depois seguiu-se mais monte e mais single-tracks que deixaram toda a gente com um sorriso de orelha a orelha.

 

 

Nesta zona onde o single-track eram tão "single" que quase já já não era "track" :-D vi o herói do dia. O João ( se não me engano) que com nove anos se portava como um grande e mostrava a muitos que o BTT é um bichinho que começa logo bem cedo. Acompanhado o seu pai (pelo menos assim me pareceu) o rapaz mal podia com o peso da bicla , mas que sabia pedalar, lá isso sabia! Parabéns rapaz!

 

 

Chegada à zona de Mosteiro

 

 

e a uma outra parte que adorei! Uma parte onde atravessámos várias vezes o rio Caima .

 

 

Primeiro numa ponte com dois belos arcos...

 

 

... e depois uma ponte improvisada e muito rudimentar mas muuuito divertida.

 

 

Mas adiante ainda se viu uma outra ponte, mas o percurso já não passou por lá. De qualquer forma, gostei muito desta zona de Ossela e do vale do Caima : uma zona muito agradável! Depois o percurso seguiu por entre casa em direcção a Baralhas.

 

 

(Foto retirada do site do Intercaima )

 

Antes de chegar à zona de Lordelo, fomos presenteados com uma descida daquelas que se hesita fazer em cima da bicla . Confesso que se não tivesse visto outro a fazer antes de mim, talvez não tivesse arriscado. Arrisquei, fiz a descida em grande estilo e com muito gozo! Valeu! Mas vi nas fotos do site do Intercaima que muitos cairam nesse local! Adorei a descida!

 

 

O gráfico de altimetria revela bem o porquê das dificuldades iniciais. Foi um início muito duro de um percurso muito porreiro.

 

 

O trilho do percurso.

 

Gostei muito do passeio e do percurso (apesar das dificuldades iniciais) e por isso dou os meus parabéns ao Intercaima . No entanto, tenho de apontar um aspectos negativo da organizagão, não no sentido de falar mal por falar mal, mas sim no sentido de fazer uma críticia construtiva. Talvez não estivessem à espera que o percurso acabasse à hora que acabou, mas o tempo de esperar pelo almoço (mais de 30 min) foi quanto a mim demasiado e creio que seja algo a ter em atenção em futuros passeios. A não ser isso, foi tudo óptimo. Parabéns!

 

Boas pedaladas

Daraopedal

Pág. 1/2