Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

daraopedal.pt

daraopedal.pt

26
Abr08

ORIBTT Trilhos da Feira – Milheirós de Poiares

daraopedal

Começo desde já este post com os meus parabéns à organização! Sabendo que era o 1º passeio BTT organizado pelo Grupo Desportivo Milheiroense, a organização (a meu ver) não falhou em nada. O local de recepção aos concorrentes foi bom (não faltando sequer uma rádio local – não sei bem qual – a fazer a cobertura das partidas), o Road-book estava impecável, os controlos muito bem, etc. etc. Não posso dizer que estão no bom caminho, porque por mim já estão “lá”. E isto foi a parte dos elogios! Adiante…


Esta foi a minha estreia em provas de orientação (algo que já ansiava há algum tempo) e até acho que nem correu muito mal. Uma coisa é certa, gostei! São algumas a vantagens das provas de orientação em relação aos tradicionais “passeios”. Para já as partidas são marcadas e distanciadas por algum tempo, o que evita aquela partida desagradável do tudo ao molho e fé em Deus e dos cromos tipo “sai-me- da-frente-seu-cromo-de-bicla-de-supermercado-que-eu tenho-o-último-modelo”. Sabem certamente que estou a falar da falta de respeito e civismo já comum numa actividade que não era nada assim há uns tempos atrás. Mas pronto, adiante. Depois cada um vai ao seu ritmo, sem se sentir pressionado por ninguém (embora o relógio não pare de contar), nem com receio que algum doido o atropele.

Há obviamente alguns inconvenientes como tão simplesmente a possibilidade… de se perder. E isso acaba por levar-nos a pedalar mais do que a distância inicialmente prevista. Acabou por acontecer-me em dois pontos do road-book (note-se que não fui o único) e terminei com 41 km em vez dos 36 previstos.


O local da partida - as instalações do Grupo Desportivo Milheiroense - ...

... onde o secretariado da prova / posto de partida e chegada estava instalado. Por lá andava também o reporter da tal rádio local que acabou por me entrevistar... por eu ser o último a partir! Os últimos serão os primeiros diz o provérbio, mas acabou por não ser bem assim. Apesar de partir em último ainda consegui chegar a meio da tabela (29º em 61, com um tempo de 4:29:46)

O road-book da prova com um suporte artesanal muito prático.

Depois da partida às 09h33 em ponto, a inexperiência levou-me ao 1º engano logo... no 2º ponto! Pois é, em vez de seguir apenas o road-book (confesso também que não estava muito familiarizado com a sua organização), fui em direcção ao participante que tinha partido antes de mim. o mais engraçado era que também ele estava perdido. Acabámos por andar um pouco na direcção errada à procura da casa com o número de porta 59, quando devíamos ter virado logo no 1º corte à esquerda na primeira curva depois da partida. Depois disso, começou a correr tudo normalmente. Passámos pelo espelho de água do Rio Antuã...

... e pela Igreja de Milheirós de Poiares.

Muitas partes do percurso estavam alagadas e com muita lama devido às recentes chuvas intensas e isso dificultava um pouco a progressão nalguns sítios, mas também dava um gozo extra andar a pedalar pela água. Como diz a publicidade "Sabe bem sujar-se..." e é bem verdade! Pouco adiante da zona da foto acima surgiu outra confusão no road-book (ponto 14), esta um pouco mais grave, que nos fez perder bastante tempo. Andámos às voltas sem encontrar uma referência "monte/lomba" que confundimos com uma parte do muro lateral do caminho. Acabámos por encontrar várias equipas com a mesma dúvida. ainda tentámos duas hipóteses sem sucesso, até que o meu "colega de equipa" da ocasião - o Fábio (a quem agradeço o apoio disponibilizado ao longo da prova) - decidiu ligar à organização para solicitar um esclarecimento. Voltámos atrás sobre os nossos trilhos e lá encontrámos a maldita lomba. A partir daqui nunca mais houve nenhuma confusão com o percurso.

A organização marcou devidamente no road-book e no próprio terreno as zonas mais perigosas, que acabámos por fazer sem dificuldades. Mesmo assim, acho que o cuidado que tiveram foi muito bom e mais vale pecar por excesso do que por defeito, não é!

O percurso passou pelas freguesias de Romariz, Guizande, Pigeiros Caldas de S. Jorge e Escapães.

Um dos pontos de controlo junto ao estádio de futebol entre Romariz e Pigeiros. Em todos havia água e a meio do percurso fruta e bolos.

Ponte sobre o rio Uima.

Uma das zonas mais bonita do percurso, o parque de lazer da Várzea, sobre o rio Uima...

... onde existem várias infra-estruturas de lazer para passar uma boa tarde à sombra. Bem me apeteceu ficar por lá mais o próxima ponto de controlo estava próximo e Milheirós de Poiares ainda distante...

Uma fonte de água potável na zona de Nadais devidamente assinalada no road-book permitiu mais uma oportunidade para nos refrescarmos do calor intenso desse dia (até deu para apanhar um escaldão nos braços).

Depois de passar próximos de Arrifana, seguimos por um percurso florestal onde nos surgiu este obstáculo: uma vala bem funda e cheia de água, em que a ajuda do meu colega foi fundamental. Devo dizer que esta parte final foi bem difícil fruto da falta de treino e do calor e do avançar da hora (perto das 14h) em que a fome apertava já muito.

Felizmente lá cheguei ao fim. Não era sem tempo. A bicla estava imunda e eu também. Apenas dei uma lavadela à minha montada e segui para casa para recuperar de uma coça valente... Falta de treino a quanto obrigas... Mesmo assim, adorei! O ORIBTT é para repetir.

A altimetria do percurso

O mapa do percurso.
NOTA: Na tarde desse mesmo dia, a organização enviou por e-mail a cada participante o ficheiro com a classificação. Volto a repetir: organização 5*****
Boas pedaladas
Daraopedal