Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

daraopedal.pt

daraopedal.pt

24
Mar10

À descoberta de Penafiel

daraopedal

O regresso às pedaladas foi numa voltinha à descoberta dos arredores de Penafiel.

Começámos "oficialmente" o percurso junto à Igreja da N.ª Senhora da Ajuda.

Aspecto da praça da Ajuda, no centro de Penafiel, junto à igreja.

Seguimos então pelo túnel da rua de Puços.

O aspecto do pequeno túnel é deveras pitoresco. Gosto muito desta zona.

Esta ruela segue num cenário completamente diferente do centro da cidade. Parece que em pouco metros saímos da confusão da cidade para a tranquilidade do campo.

Mais um aspecto do caminho, com algumas quintas com portões imponentes.

Depois de passar sob a variante de Cavalum, pudemos observar a roda panorâmica da nova Bracalândia, que abriu no fim-de-semana passado.

Encontramos a ponte antiga (romana?) sobre o rio Cavalum...

.. que nos leva a este fantástico "single-track" com uma cúpula de mimosas. Como estavam cheias de flor, o cheiro era adocicado e talvez ainda fosse mais se não tivesse chovido na noite anterior.

Passagem junto ao portão da Bracalândia.

Ainda aproveitámos para entrar e apreciar a estátua da lenda de S. Jorge e o Dragão. Não sei se será boa ideia colocar uma estátua onde se mata um dragão por estas bandas, pois é quase tudo azul e branco e os resultados não andam lá muito famosos...

Passagem junto à Igreja de Duas Igrejas, uma freguesia de Penafiel. Esta já encontrei, falta saber onde é a outra... O pessoal estava todo aperaltado a sair da missa e nós... cheios de lama!

Passagem diante da junta de freguesia.

Entrámos numa zona de campo, onde pudemos ver esta névoa a levantar da terra por força da evaporação.

Um aspecto do trilho, com passagem pelo campo...

... junto ao Ribeiro da Brenha.

As feras fizeram-nos um acompanhamento a quatro vozes... ladrares... Os pequeninos são mesmo os piores!

Ainda encontrámos este espectáculo, prova que de nada serve o "LimparPortugal" que se tinha realizado na véspera, se o pessoal continua a poluir... Falta é civismo!

A vista para a cidade de Penafiel com o Sameiro em destaque.

Em Perafita, mais uma casa com ar brasonado e com capela particular. É muito frequente encontrar casas e quintas com esta tipologia por estes lados, pena é que muitas estejam a degradar-se, mas são sempre interessantes.

Alguns caminhos eram autênticos rios!

Chegámos então ao ponto mais alto do percurso, numa zona de enormes penedos graníticos. Esta é o limite entre os concelhos de Penafiel e Marco de Canavezes. A vista para o lado de Penafiel era esta.

Esta pobre árvore é vítima de bullying por parte de jipes!

A vista para Este, com Marco de Canavezes em destaque.

Adorei este bocadinho de descida em pleno granito, com os pneus a valerem muito.

Mais uma prova de que os terrenos estão ensopados de água.

Já no caminho de regresso a Penafiel, ainda fizemos um desvio para apreciar a  Anta de Stª Marta.

Esta parte, num single track debaixo de videiras também foi muito agradável.

Chegámos a uma zona muito bonita com carvalhos de grande porte e com tonalidades castanhas, onde o Outono parece continuar.

Chegámos à zona do percurso de que mais gostei. Neste local, existe uma pequena represa no leito do rio Cavalum. A envolvente do rio, com uma vegetação densa e sombria, torna o cenário muito agradável. Escusado será dizer que ainda ficámos por lá parados um bocado a ponderar por onde é que havíamos de passar, pis o rio ainda levava um caudal respeitável que impedia atravessar pedalando.

Bora lá carregar as mulas! E cuidado para não escorregar...

Já próximo de Penafiel, com, novamente, o Sameiro em destaque.

Uma outra perspectiva da Bracalândia.

E terminámos frente ao Sameiro, o ex-libris de Penafiel.

Foi uma voltinha muito agradável, com cerca de 25 km, com uma dificuldade média que permitiu voltar aos treinos.

Para esta voltinha utilizei um track que encontrei na net, no blog do grupo Bike17eco, a quem agradeço.

Disponibilizo agora a minha versão do track, ligeiramente diferente na minha conta do Wikiloc.

Boas pedaladas

Daraopedal

17
Mar10

Pedalando pela Linha do Tâmega [Amarante]

daraopedal

Depois de muito tempo parado e sem nehuma aventura de registo, decidi ir à descoberta da linha do Tâmega, pois, depois da linha do Vouga, ficou um gosto especial por este tipo de percursos. Na net, pouca ou nenhuma informação se encontra. Entao acabou por ser uma descoberta. Tracei no mapa o trilho com o objectivo de ligar Amarante a Celorico de Bastos.

Cheguei à Estação de comboio de Amarante onde iniciei o percurso. A ciclovia existe a partir desse local e caracteriza-se por um piso arenoso (com saibro) ideal para pedalar e sem o impacto algo negativo do habitual revestimento betuminoso. O percurso está delimitado por trave de madeira de um lado e outro da via. Possui algumas comodidades como como zonas de repouso (bancos) e caixotes do lixo. Pelo que me apercebi é um percurso bastante procurado, pois cruzei-me com muitas pessoas: umas pedalando como eu, outras correndo ou ainda simplesmente caminhando.

As paisagens são principalmente características de zonas rurais, com vastas zonas de vinha e com o Tâmega pontualmente a surgir por entre a vegetação. Não há nenhuma dificuldade no percurso que percorre cerca de uma dezena de quilómetros entre Amarante e o lugar de Chapa. Pelo percurso passamos pelas antigas estações de Satão e Chapa, uma delas completamente em ruína e outra habitada por alguém.

De destacar a passagem, na parte inicial do percurso, por um túnel com algum comprimento, (o que não deixa de ser divertido), os bonitos azulejos que cobrem as estações e a vista sobre a ponte da Ribeira de Santa Natália.

A unica coisa que desiludiu foi mesmo a curta distância da ecovia, que soube manifestamente a pouco. ainda tentei prosseguir um pouco pela zona onde existem ainda os trilhos, mas o piso com as traves de madeira e as pedras, bem como a vegetação que está a invadir a linha, não permitiram isso.

Para quando a continuação até Celorico de Bastos?

 

PS. Já agora, se alguém souber de alguma zona desta ciclovia que já esteja pronta, para além da que percorri, agradeço que me contactem.

 

Estação de Amarante

Início da ciclovia

A paisagem fica pouco a pouco menos urbana e mais rural.

:-)

As vinhas locais.

O túnel de Gatão (153m)

Há uma luz ao fundo do túnel.

Antiga estação de Chapa.

Belos azulejos.

Igreja de Gatão

O Tâmega e as suas margens

Ponte de Stª Natália

Rio de Stª Natália

Ainda me dei ao trabalho de descer até ao patamar inferior

A Estação de Chapa é habitada.

Também possui belos azulejos.

O fim da linha ou da ecopista

A preciousss

O fim da Ecopista na perspetiva inversa.

O regresso com outras fotos.

O sistema usado para impedir a passagem de veículos automóveis pela linha é eficaz, mas é incómodo pois obriga à quebra de ritmo.

Um local para várias práticas desportivas e de lazer.

Ainda deu para um cheirinho do caminho de Santiago.

Boas pedaladas

daraopedal