Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

daraopedal.pt

daraopedal.pt

29
Abr10

À descoberta do Alvão

daraopedal

 

 

Mais uma voltinha, mais uma descoberta.

É disto que gosto no BTT: a possibilidade de me levar a descobrir novas paragens, novas beleza deste pequeno país à beira mar plantado, com muito para oferecer para além de um PEC, défice público e portagens nas SCUTS.

Às vezes apetece mesmo dizer: BASTA!

Pego então na bicicleta e vou ao encontro da natureza, do vento, de um ou muitos cães de quem tenho de fugir a sete pés...

Então a fuga foi desta vez para o Alvão.

Descobrir uma nova serra, descobrir novas vistas, sempre a partilhar com a mesma (a melhor) companhia...

A volta foi pequena mas a descoberta foi enorme! Que beleza de serra!

A vegetação ainda é aquela que já pouco se vê noutras paragens: bétulas, pinheiros mansos, ...

As vistas são impressionantes para onde quer que se olhe, com um destaque especial para o monte da Srª da Graça, lá ao longe, mas ao mesmo tempo, bem perto...

Ainda deu para conhecer a pequena aldeia de Lamas de Olo, seguir um pouco o curso desse pequeno riacho - o Olo - que forma mais uma grandeza que só a natureza é capaz de criar: as Fisgas do Ermelo. Uma tarde bem passada, o único senão foi mesmo termos sido perseguidos por cinco cães de pastor. Já é a segunda vez que atrapalham! Haverá solução?

Boas pedaladas

Daraopedal

21
Abr10

Cabroelo - Serra da Boneca [Penafiel]

daraopedal

 

Mais uma aventura à descoberta de Penafiel. Interessado pelo evento organizado pela Associação Desportiva de Cabroelo, mas sem possibilidades de participar no dia da prova, acabei por pedir o trilho do percurso a essa associação que gentilmente o disponibilizou. Desde já agradeço-os por isso.
Dirigi-me então à pequena aldeia de Cabroelo, uma aldeia preservada da freguesia de Capela (Penafiel), onde comecei o percurso percorrendo algumas ruelas do centro da mesma. Cometi inicialmente um erro que me viria a penalizar ao longo do percurso, com efeito acabei por fazer o trilho ao contrário e com isso fiz muitas partes onde a descida seria um puro gozo, a empurrar a bicicleta monte acima. Foi pena, mas já a prendi e para a próxima hei-de ter maia atenção. O percurso saiu da aldeia por um pequeno caminho enlameado muito estreito e nem sequer pensei que num dia de prova, começar o percurso dessa maneira não era muito viável, mas o entusiasmo era tanto que só pensava em ir à descoberta de novos trilhos. Mais adiante e depois de passar um pequeno ribeiro, surgiu uma parede para subir com a bicicleta à mão. Do alto era possível observar um cenário onde se destacavam os enormes blocos de granito. Seguimos então por caminhos florestais em direcção à tal serra da boneca, não sem antes perder um dos parafusos dos cleats das sapatilhas, que tinha acabado de trocar. Se alguém o encontrar, é avisar, ok? :-)
O dia estava espectacular e valeu o primeiro bronze ligeiro "à bttista" do ano! No alto da serra, as torres de energia eólica serviam de faral para nos situarmos em relação ao percurso. Passamos pela zona do aterro sanitário de Penafiel e mais adiante iniciamos a subida para o alto da serra de onde se goza de umas vistas fantásticas sobre o vale do Douro e o concelho de Castelo de Paiva na margem oposta. ainda fizemos questão de ir até ao marco geodésico da Boneca, para depois descer e subir novamente até ao posto de vigia dos guardas florestais. de seguida, descemos para a vertente da serra do lado do Douro, numa zona com piso muito duro, fruto do inverno rigoroso. Voltaríamos a subir por caminhos de floresta e junto à pista de downhill que existe por lá. fazer aquilo tudo a subir, quando sabia que poderia ter feito tudo a descer foi penoso, mas pronto. Depois chegámos a uma pequena capela cujo nome não consegui saber, mas que foi a nossa salvação, pois encontramos lá água, quando as nossas reservas já estavam a achegar ao fim. Seguimos por uma pedreira até encontrar uma zona bem rolante, novamente entre monólitos de granito, que acabaria por nos levar à zona do campo de futebol da aldeia de Cabroelo. A partir daí, voltámos por estrada, visto que tínhamos iniciado bastante tarde este percurso e a hora já estava a ficar avançada.
Foi uma boa volta, feita em ritmo calmo para descobrir novos trilhos e novas paisagens. Espero voltar para fazer o percurso na totalidade.
Boas pedaladas
Daraopedal

 

11
Abr10

Amarante - Rotas de Marancinho (PR1) e de S. Bento (PR2)

daraopedal

A última aventura foi pelos lados de Amarante onde realizei os percursos pedestres PR1 - Rota de Marancinho e PR2 - Rota de S. Bento.

São dois percursos de pequena rota, o 1º com cerca de 6 km e o 2º com aproximadamente 12km, com a particularidade de passarem a cerca de 100m um do outro. Assim aproveitei e fiz os dois de uma vez.

Comecei o percurso junto à Igreja românica de Gondar, passando pelo lagar dos Mouros e pela zona da Quinta de Marancinho, depois de passar pela zona da calçada romana, encontrei o PR2.

Este segundo percurso sobre bastante até ao lato do marco geodésico de Picoto, depois segue junto à antiga estalagem (umas ruínas que gostei de explorar) e sobe até à capela de S. Bento, que dá o nome ao percurso. A partir daí desce pela serra abaixo, passando pela fonte, pela casa do guarda florestal, passando debaixo do IP4 até ao lugar de Rua. Esta pequena aldeia é extremamente interessante, quer pelas casa fantásticas que por lá se encontram, quer pela ponte antiga sobre o rio Ovelha, uma zona muito bonita sem dúvida. Depois voltei a passar o IP4 e seguir até à zona onde voltei a encontrar o PR1, que segui até voltar à Igreja de Gondar. Os percursos alternam entre zonas de casario, campos e bosques, ora por caminho florestais (80%) ora por estradas e estradões em paralelo(10%), ora por pequenos trilhos. As vistas para o Marão são fantásticas. Recomendo a aventura e deixo aqui as fotos da mesma.

Boas pedaladas

Daraopedal