Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

daraopedal.pt

daraopedal.pt

19
Abr11

GeoBTT de Matosinhos a Gaia

daraopedal

 

 

 

 

A vontade de pedalar é muita por isso aproveitei o bom tempo e fiz uma voltinha de BTT usando transportes intermodais: aliei o metro à bicicleta.

Comecei na Av. da Republica em Gaia e meti-me no metro até Matosinhos Sul, de onde pedalei quase sempre pela marginal, até regressar ao ponto de partida.

O interior do metro.

A "preciousss" bem acomodada.

Mais um local para acomodar, visto que não estava no metro nenhuma pessoa prioritária.

A passagem pelo Sr. de Matosinhos, logo depois da saída na paragem de Matosinhos Sul.

O "calçadão" da praia de Matosinhos.

O edifício transparente e o Castelo do Queijo.

Um desvio para ir até ao Parque da Cidade.

Sempre agradável passar por aqui.

Mais uma perspectiva.

Já na marginal da Av. da Índia.

Um salto até ao paredão da foz do Douro.

O farol antigo.

E siga rio acima.

Passagem pela ponte da Arrábida.

A ponte suspensa.

Subida da zona da Ribeira até à Estação de S. Bento.

Passagem pela Sé do Porto.

Regresso pelo tabuleiro superior da ponte D. Luís.

A vista para o Douro.

O Jardim do Morro.

Um percurso de cerca de 23km que soube muito bem. Recomendo pela facilidade do percurso e pelas paisagens agradáveis ao longo do mesmo.

Boas pedaladas

Daraopedal

14
Abr11

I'm back!

daraopedal

Para celebrar o regresso à bicicleta depois de 5 meses de paragem forçada, nada como iniciar lentamente as lides ciclistas com um passeio pela ciclovia de Gaia, aproveitando um belo dia de primavera.

A recente ciclovia de Gaia perto da praia de Salgueiros foi a zona de partida.

Um espaço ideal para todas as idades praticarem o desporto da pequena rainha.

Outros até aproveitavam para treinar um pouco de "trial".

Quase a chegar ao estuário do Douro.

O paredão do outro lado do rio.

O posto de observação da Reserva Natural Local do Estuário do Douro.

Mais uma perspectiva...

Não faltavam várias espécies a aproveitar a zona de sapal proporcionada pelo rio.

Um local muito bom para o "Birdwatching".

Mais à frente, na Afurada, está a nascer a nova marina de Vila Nova de Gaia.

Um belo palacete junto ao Douro.

Junto ao lavadouro público da Afurada, os estandais onde seca a roupa.

A vista para a Ponte da Arrábida.

Mais uma.

E outra.

No cais de Gaia, a nova atracção recentemente inaugurada: o teleférico de Gaia, que liga o cais ao jardim do Morro.

O vai e vem das cabines. Pena é o preço ser elevado para um passeio tão curto e rápido.

O típico barco Rabelo que servia antigamente para transportar as pipas de vinho do Porto.

A centenária Ponte D. Luís.

Já no regresso, um plano junto à Afurada, com vista para a barra do Douro.

e outra.

Uma pequena voltinha relax, com cerca de 21km,  para iniciar lentamente a recuperação depois da cirurgia.

O que interessa mesmo é que... ESTOU DE VOLTA!! :-D

Boas pedaladas

Daraopedal

06
Abr11

Oito Municípios vão dinamizar 160 km do Caminho Português Interior de Santiago

daraopedal

Mais uma notícia de relevo para quem gosta do caminho de Santiago.

 

29-03-2011
Caminho
Cooperação para o Projecto de Marcação e Dinamização do Caminho Português Interior de Santiago envolve Distritos de Vila Real e Viseu

Oito Municípios vão dinamizar 160 km do Caminho Português Interior de Santiago

Assinatura do Protocolo: 7 de Abril | Edifício da Assembleia Municipal de Vila Pouca de Aguiar

O território do Projecto de Marcação e Dinamização do Caminho Português Interior de Santiago a ser implementado no Interior de Portugal abrange 160 quilómetros (entre Viseu e Chaves) que integram a área geográfica dos Distritos de Viseu e Vila Real. Os concelhos que fazem parte desta rede que vai ser desenvolvida são os Municípios de Viseu, Castro Daire, Lamego, Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião, Vila Real, Vila Pouca de Aguiar e Chaves. As entidades regionais de turismo e os bispados também integram esta parceria inter-regional.

Esta iniciativa inédita no território nacional surge sustentada pelas autarquias que vão conjugar esforços ao disponibilizar recursos próprios nas respectivas áreas de intervenção, e que vão desde as infra-estruturas aos recursos humanos necessários para a dinamização deste projecto de turismo religioso e de lazer. Os recursos próprios das autarquias e as sinergias com projectos locais em curso levam a que novos investimentos sejam ínfimos.

A par da marcação e dinamização no caminho, é de realçar a reconversão de edifícios públicos que estão a definhar, nomeadamente antigas escolas, casas florestais e apeadeiros, em futuros albergues de peregrinos que vão revitalizar as aldeias atravessadas.
Com a implementação da rede são esperadas milhares de pessoas que caminhem em segurança ao longo do percurso e, além de aproveitar a marca internacional Caminhos de Santiago, o projecto – como o caminho – tem duplo sentido que leva à utilização da via na Peregrinação a Fátima.

Ambas as situações vão reforçar as potencialidades transfronteiriças e de desenvolvimento social que advirão da implementação deste caminho no Interior de Portugal e que surge como uma vontade intra-concelhia de resiliência à desertificação e aos pacotes turísticos já massificados.

Ao rejuvenescer o caminho do interior, temos o Interior com vida.

Programa

11h30 Recepção
11h45 Abertura pelo Sr. Presidente da Câmara de Vila Pouca de Aguiar, Dr. Domingos Dias
12h00 Palestra «O Caminho Português Interior de Santiago», pelo Prof. Arlindo Cunha (Universidade Católica)
12h20 Palestra «A Importância dos Caminhos de Santiago para o Turismo», pela TUREL.
12h30 Assinatura do Protocolo de Cooperação pelos municípios de Viseu, Castro Daire, Lamego, Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião, Vila Real, Vila Pouca de Aguiar e Chaves
12h45 Encerramento da Sessão
13h00 Inauguração da exposição de fotografia «O Nosso Caminho» (DIAFRAGA)
Lançamento do livro «ULTREIA! CAMINHO SEM BERMAS», de António Sá-Gué

Informações complementares

- O Caminho Português Interior de Santiago estende-se de Viseu a Chaves, num percurso de cerca de 160 quilómetros e atravessa as regiões Centro, Douro e Trás-os-Montes. Destaca-se a riqueza do património cultural e religioso ao longo deste caminho, bem como o património natural e paisagístico.

- O livro «Caminhos Portugueses de Peregrinação a Santiago – itinerários portugueses», de Prof. Arlindo Cunha, publicado pela Xunta de Galicia em 1995, serviu de base ao reconhecimento e marcação do percurso.

- A exposição de fotografia «O Nosso Caminho», da associação DIAFRAGA, mostra imagens de parte do Caminho de Santiago (surgiu de uma caminhada inserida numa itinerância da Fundação Xacobeo).

- O lançamento do livro «ULTREIA! CAMINHO SEM BERMAS», de António Sá-Gué que é um dos mais fecundos escritores trasmontanos na área da ficção. A ideia do livro nasceu em Abril de 2008, durante uma peregrinação a Santiago de Compostela, feita em bicicleta, a partir de Saint Jean Pied de Port, uma vila fronteiriça, ponto de convergência dos caminhos de Santiago da Europa do Norte. Trata-se assim da narração de uma experiência pessoal. Segundo se lê numa nota introdutória, «este é um livro onde, por um lado, descrevo o caminho e as impressões colhidas ao longo do ‘Caminho Francês’. Por outro, vou garatujando um segundo caminho, simbólico, paralelo a esse, que é o caminho do conhecimento e do não-conhecimento».
Fonte CM Vila Pouca de Aguiar

Pág. 1/2