Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

daraopedal.pt

daraopedal.pt

28
Fev13

Gaia - S. Jacinto - Aveiro

daraopedal

Voltinha de treino para acumular quilómetros para os objetivos 2013.

Nova investida no mesmo sentido (Norte - Sul), mas desta vez estiquei um pouco mais até Aveiro.

Trajeto: Gaia - Furadouro - S. Jacinto (travessia de ferry) - Barra - Aveiro.

Mais uma vez, levei a crosstrail a uma voltinha por estrada. O objetivo era chegar até Aveiro e foi plenamente concluído num dia de inverno com um tempo fantástico.

Passagem pela ponte da Arrábida.

Foz do Douro.

Segui pelas ciclovias de Gaia, aqui junto à zona da Granja, numa zona que ainda não está concluída.

Passagem por Espinho.

Ciclovia em Esmoriz.

Basta virar nesta placa que indica "Estrada florestal" para apanhar o percurso da CicloRia, cujas fotos podem ver neste post anterior.

Início da CicloRia - Ciclovia do Atlântico.

Barco típico na rotunda do Buçaquinho.

Junto a um dos passadiços inacabados.

Pinhal a perder de vista.

Depois de chegar ao Furadouro, bastou seguir pela ciclovia que liga ao centro de Ovar...

... e virar para S. Jacinto.

Depois de apanhar a looonga EN 327, bastavam 24 km para chegar a S. Jacinto.

Paragem para um ligeiro reabastecimento. Existem várias formas de "roubar", cobrar 4,40€ por uma tosta mista (em pão de forma) e um compal de pêssego parece-me uma nova forma. Já sei onde nunca hei-de voltar a parar.

Passagem junto à ponte da Murtosa.

E a sua estranha rotunda.

Já só faltavam 16!

Segui então pela ciclovia existente no concelho da Torreira.

Passagem pelo cais dos Moliceiros.

Seguindo sempre com a ria ao meu lado.

A imensidão da ria de Aveiro, já próximo de S. Jacinto.

Chegada à zona da Reserva Natural das dunas de S. Jacinto.

É oficial! Chegada a S. Jacinto.

Um belo moliceiro no cais de S. Jacinto.

Com alguns desvios pelo caminho, o contador marcava 78 km.

Muitos anos depois, voltei a entrar no antigo ferry que ligou as margens do Douro, quando a ponte de Entre-os-Rios ruiu.

Travessia do canal.

O "Cidade de Penafiel" é agora o "Cale de Aveiro".

O acesso à zona do Porto de Aveiro tem esta configuração: carros de um lado, peões (e ciclistas?) de outro.

Depois da travessia da Gafanha da Nazaré em direção à A25, depois desta rotunda...

... encontramos o acesso à ciclovia ao longo da autoestrada para seguir até Aveiro.

Direção Aveiro.

Ria de Aveiro.

Junto à rotunda do sal, à entrada da cidade.

A voltinha terminou com cerca de 90 km no visor, junto à estação de Aveiro, onde apanhei o transporte de regresso.

Boas pedaladas

daraopedal

28
Fev13

Gaia - Furadouro - Ovar pela CicloRia

daraopedal

Voltinha de treino para acumular quilómetros para os objetivos 2013.

Trajeto: Gaia - Furadouro - Ovar, com passagem pela ciclovia da CicloRia, um percurso com muito potencial, mas que infelizmente não está concluído. Podem encontrar mais alguma coisa no site oficial (http://cicloria.org.pt/). Foram cerca de 50km bem agradáveis. Ficam as fotos.

Junto à capela do Sr. da Pedra.

Junto ao Regimento de Engenharia de Espinho.

Painel informativo do projeto cicloRia.

O esquema do mesmo projeto.

Junto a esta antiga casa florestal abandonada começa o percurso.

Início da ciclovia, ao longo da estrada atlântica.

Sinalética.

Mais um painel.

O percurso é francamente agradável.

Na zona do Buçaquinho.

Algumas passagens em partes de madeira para permitir a passagem de veículos pesados, sem danificar o asfalto.

Junto ao início da pista da base aérea da NATO, encontrei o primeiro de muitos passadiços de madeira que se encontram ainda por concluir. Nenhum deles possui ainda o "chão".

Sinalética da pista de aterragem.

O temporal recente deixou as suas marcas.

Avenida da NATO.

Estrada e ciclovia lado a lado.

Mais um passadiço de madeira.

Ainda não está pronto, mas já está a precisar de manutenção.

"Crime Scene Investigation" - CSI Ovar

A sinalética ainda está por concluir.

O término da cicloRia, próximo do Furadouro.

Barco de pesca tradicional, na rotunda à entrada do Furadouro.

Passagem junto à praia, onde não se podia estar tal era o vento.

De seguida, bastou apanhar a ciclovia que liga o Furadouro ao centro de Ovar.

Uma excelente voltinha.

Boas pedaladas

daraopedal

10
Fev13

BTT pela antiga linha da Póvoa de Varzim a S.P. de Rates

daraopedal

Depois de ter percorrido a parte que liga Famalicão a Rates, voltei a esta antiga linha de comboio para percorrer o trilho entre a Póvoa de Varzim a Rates. A ecopista ainda não está pronta, mas os trabalhos avançam para que esteja (supostamente) pronta neste 1º semestre de 2006. A ver vamos. Espero voltar lá qualquer dia para fazer o percurso na íntegra. Voltando à parte que fui descobrir, o piso está bom na parte inicial, mas há ainda várias zonas onde não foi colocado o piso de terra batida arenosa, que permite evitar a lama. Conclusão: muitas partes ainda apresentavam muita lama, em especial perto de Rates, onde as poças de água quase eram autênticas piscinas olímpicas. Mesmo assim, foi um dia divertido, sem grande dificuldades excepto as zonas enlameadas que exigem algum esforço e técnica para não ir à lama. O trajeto percorrido perfaz um total de cerca de 34 km (ida e volta).

Deixo algumas fotos do percurso.

Início da ecopista na Póvoa de Varzim.

Um dos vários viadutos do percurso.

A zona inicial já tem este piso arenoso, ideal para pedalar.

A principal nota negativa do percurso são os inúmeros cruzamentos com estradas. Para já ainda não há sinalização específica, mas espero que mais tarde se privilegie os utilizadores da ecopista.

Mais uma travessia de estrada.

Postes quase a perder de vista até ao viaduto da A28.

Pare, escute e olhe.

Percurso agradável entre zona agrícolas. Aliás, nunca tinha visto um campo com tantos alhos franceses.

A primeira zona de lama. Um aperitivo para o que se aproximava.

Mais uma zona de bom piso.

A vista para o Monte de S. Félix.

Mais um viaduto e mais lama.

Passagem junto ao aeródromo da Póvoa de Varzim.

Já perto de S. Pedro de Rates.

Uma antiga ponte de madeira no percurso.

Chegada à antiga estação de comboio de Rates.

Tempo para um pequeno desvio até ao ex-libris local, a igreja romana.

Foi dar meia volta e regressar pelo mesmo percurso.

 

Boas pedaladas

daraopedal