Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

daraopedal.pt

daraopedal.pt

03
Set08

Transportes públicos e bicicletas

daraopedal

 Em várias das minhas aventuras, especialmente, as mais recentes, tem sido recorrente um mesmo problema: a dificuldade de encontrar transportes públicos para levar/trazer as bicicletas.

É impressionante a falta de soluções existentes em Portugal e o contraste entre Portugal e Espanha.

Aquando da minha aventura Porto – Santiago de Compostela, foi com facilidade que organizámos o regresso para Portugal. Através da Internet conseguimos encontrar o meio de transporte ideal para o regresso: o comboio. Consultando o site da RENFE (o equivalente espanhol à CP), verificámos (sem ter de vasculhar todos os links do site) que oferecia a possibilidade de transportar comodamente as bicicletas, mediante um preço claro e estipulado. Tudo às claras e simples.

Nessa altura, chegámos à estação de Santiago e adquirimos os bilhetes (nossos e das bicicletas) e quando chegou o comboio (do tipo Alfa-Pendular) verificámos que existia um local no início da carruagem onde podíamos pendurar as bicicletas. As bicicletas iam seguras, nós íamos confortáveis (muito mesmo) e descansados pois podíamos controlar à distância as nossas “montadas”. Excelente!

No entanto, o comboio ia apenas até Vigo. Depois tivemos de mudar para a CP e aí as diferenças foram flagrantes. Desde um revisor mal-humorado que nos mandou (nitidamente contra a vontade) “enfiar” as bicicletas numa carruagem de carga. Também já estavam lá muitos outros betetistas, por isso as bicicletas iam um pouco “umas em cima das outras”. Ainda tivemos de ouvir outro comentário do revisor a mandar arrumar as bicicletas para desimpedir o corredor central (note-se que estava perfeitamente livre!). Como na carruagem de carga não havia onde sentar, quem quisesse tinha de ir para outra carruagem, de onde não podia controlar a segurança das bicicletas.

Agora pergunto eu, como a peregrinação a Santiago (quer pelo caminho Português ou Francês) é algo cada vez mais frequente não seria uma boa ideia a CP oferecer, pelo menos nos meses de maior número de peregrinações, um serviço adequado? Isso já foi há 2 anos atrás, no entanto não acredito que a situação se tenha alterado.

 

Mais recentemente, na preparação da aventura pela linha do Vouga, procurei saber se era possível o transporte das bicicletas nos autocarros expressos que ligam Viseu a Albergaria-a-Velha. Quando me informei junto das companhias foi-me dito que a politica da empresa era não transportar bicicletas, mas isso ficava “ao critério do revisor”… Ao critério do revisor?! Mas que raio de resposta é essa? De acordo com a política da empresa deveria sujeitar todo o tempo dispendido na preparação e organização desse evento ao humor ou boa-vontade de um revisor? Só de me lembrar dos revisores com quem me cruzei ao longo da vida até me dá vontade de rir; eu não sei como é para vocês, mas a imagem que me vem à cabeça é obviamente de uma pessoa com simpatia para dar e vender, certo? O que eu queria era apenas trazer as bicicletas, nem que tivesse de as desmontar. É óbvio que pode ser complicado colocar uma bicicleta num autocarro, mas é muito frequente serem enviadas, por despacho nas redes de autocarro, encomendas algumas vezes bem mais volumosas que uma bicicleta.

 

Na ida para Fátima, como éramos vários achámos que seria mais fácil ir um carro e dividir as despesas do que levar mais uma daquelas respostas tortas por parte das empresas de transportes públicos.

 

Na minha última aventura de Tróia até Sagres (que ainda hei-de colocar aqui), tentei evitar recorrer ao carro e voltaram a colocar-se os mesmos problemas. Contactei novamente as companhias rodoviárias e ferroviária para tentar ir e regressar de transportes públicos. Qual não foi o meu espanto quando desta vez numa bilheteira da CP me deram a mesma resposta que a companhia de autocarros! Que ficava ao critério do revisor! Mas afinal não há uma política da empresa? Procurei no site de CP e encontrei isto:

Posso transportar a minha bicicleta no comboio? 

 O transporte de bicicletas é permitido nos comboios Urbanos de Lisboa e nos comboios Regionais. O Transporte de Bicicletas nos comboios das Linhas de Sintra, Cascais, Azambuja e Sado é gratuito.

O transporte de bicicletas é gratuito, diariamente, nos comboios Regionais, Interregionais e Urbanos de Coimbra. Para viajar com a sua bicicleta deve dirigir-se ao Operador de Revisão para que este lhe possa emitir o título de transporte (de passageiro) e garantir ou não o transporte do respectivo veículo (caso o comboio esteja lotado o transporte da bicicleta pode não ser viável por razões de bom funcionamento do serviço de transporte de passageiros).

A carga e a descarga são da responsabilidade do cliente e o transporte da bicicleta deve ser feito de forma a não obstruir as portas e a não dificultar a entrada e saída de passageiros.

E no resto do país? Não se pode usar bicicleta?

Encontrei também informações no site da FPCUB. Deixo aqui o link (pode ser útil).

 

Concluindo este post (que já vai longo), é triste ver que numa altura em que os governos tanto apregoam a necessidade de reduzir a dependência dos combustíveis fosseis e utilizar os transportes públicos, a realidade é bem diferente. Mesmo que queiramos, são poucas as empresas que autorizam a utilização da bicicleta nos transportes públicos. O facto de haver poucos incentivos em nada me espanta (afinal isto é Portugal e não a Holanda), mas o facto de haver tantos entraves deixa-me perplexo e triste.

Enfim isto é o país (e os transportes públicos) que temos. Já agora deixem aqui os vossos comentários sobre isso e/ou algum testemunho sobre algo semelhantes que vos tenha acontecido.

Boas pedaladas (e mais sorte com os transportes)

Daraopedal

 

Nota: O post está ilustrado com várias fotos da net que apresentam alternativas para o transporte das bicicletas.

2 comentários

Comentar post