Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

daraopedal.pt

daraopedal.pt

01
Out09

ORI BTT Cesar - Oliveira de Azeméis

daraopedal

Participei no ORI BTT de Cesar no passado fim-de-semana, numa prova organizada pelos sempreapedalar. Não foi a minha 1ª prova do género mas confesso que é um tipo de prova que me atrai cada vez mais. Ao contrário dos passeios habituais onde está tudo fitado e é só seguir a malta, aqui é preciso usar um bocadinho a cabeça para fazer a navegação a partir de um road-book fornecido pela organização. É uma vertente onde não basta pedalar a toda a velocidade, por vezes (muitas vezes) é preciso parar para ler o terreno e o road-book e procurar o caminho certo. Ao longo da prova, diversos postos de controlo estão presentes para verificar que ninguém atalha caminho e assim obter a classificação correcta.

A partida era dada de dois em dois minutos, junto ao pavilhão da casa do povo de Cesar. Enquanto um computador marcava a hora, o outro indicava a nome da equipa e dos seus elementos, bem como a contagem decrescente para a partida...

... sob o olhar atento dos outros participantes. Esta situação é obrigatória neste tipo de prova, no entanto acaba por criar um problema de logística, visto que os últimos a inscrever-se acabam por estar muito tempo à espera da sua hora de partida. Se a isto juntarmos cerca de 2h30 / 3 horas de duração média do trajecto, facilmente nos apercebemos que muitos acabam por chegar por voltas das 13 / 14 horas. Um pouco tarde para quem quer almoçar...

Ao longo do percurso, a organização esteve bem ao assinalar correctamente várias zonas mais técnicas, onde o percurso traiçoeiro (descidas com pedras soltas) facilmente poderia provocar danos nos mais entusiasmados.

A passagem perto de uma singela capela, se não me engano, Capela de Santa Apolónia, no lugar de Vilarinho.

Aqui começou umas das zonas mais bonitas do percurso que já conhecia de outros passeios pela zona, a subida à Pedra Má.

Em alguns sítios era mesmo à mão, mas valia a pena pois éramos recompensados...

... com belas vistas sobre Cesar e os seus arredores.

Uma outra perspectiva a partir do mesmo ponto.

Mais acima, a zona mais divertida do passeio: um single-track junto a uma vedação de arame, que sobe e desce no dorso do monte. Para um lado e para o outro, as vistas eram muito agradáveis.

Vertíce Geodésico da Pedra Má (Alt. 396m), junto a um dos postos de controlo no percurso .

De volta à estrada, para uma passagem perto da casa azul de Cesar...

... em direcção aos arcos medievais deste aqueduto que, ao que parece, devia servir para levar a água aos moinhos da zona.

O percurso era mesmo por aqui, atravessando-se debaixo do aqueduto.

Participei nesta prova com um amigo que me tem acompanhado em várias aventuras, formando a equipa "Daraopedal Team". Participar nestas provas integrado numa equipa é uma grande vantagem pois além do apoio psicológico, também acabámos por ajudarmo-nos um ao outro ao longo do percurso, em especial a navegação,  já que quando um não via um cruzamento ou um caminho, o outro estava atento e chamava à atenção.

A passagem de um pequeno ribeiro com uma água com  um cheior nauseabundo.

Mais um...

E outro ainda! Chega para todos molharem bem os pezinhos!

Depois de muitas voltas, chegámos ao campo de futebol de Cesar...

... onde a nossa claque estava à espera!

Na zona de Fajões, uma alminha. Gosto sempre de fotografar as que vou encontrando, são tão diversificadas...

Aqui, na descida da zona dos moinhos do Pisão, com o milho bem amarelinho em contraste com a verdura do resto da paisagem.

A prova estava a correr muito bem, tendo em conta as nossas expectativas: nenhumas, pois estavamos lá apenas para nos divertirmos e desenferrujar as pernas. Um momento caricato foi quando num posto de controlo feito por duas senhoras, uma delas nos disse "Vocês estão muito atrasados!". A minha resposta foi simples: "Nós não! Os outros é que estão com pressa!"

Apesar de tudo não tinha havido grandes problemas com a navegação do road-book, apenas algumas dúvidas pontuais, mas a poucos quilómetros da chegada (poucos mesmo, cerca de 1,5 km), senti uma vibração estranha acompanhada de um ruído forte no disco de trás. Parei logo e fui ver. Resultado: pastilhas de trás completamente gastas! Duraram cerca de 750 km. Nunca me tinha ocorrido que elas acabariam por falhar (estupidez!), e não previ a salvaguarda de trazer sempre umas pastilhas extra. O que me valeu foi o meu companheiro de equipa que anda sempre com uma loja de ferramentas às costas e me safou, emprestando-me umas pastilhas usadas. Mas com isto tudo, perdemos mais de vinte minutos parados quase, quase na chegada. Com isto aprendi mais uma lição!

O percurso foi de cerca de 28 km.

Com 2h41min a pedalar para um tempo total decerca de 3h20min, acabámos por ficar na 19ª posição.

Gostei da prova e da organização, só foi pena não ter havido um pequeno reabastecimento a meio, mas pelo preço pago (5€) não se pode ter tudo. Só lamento o facto de muitas da zonas por onde passei já serem conhecidas de outros passeios organizados pela malta de Cesar, mas isso acaba por acontecer. Por tudo isso, os meus parabéns à organização.

Boas pedaladas

Daraopedal