Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

daraopedal.pt

daraopedal.pt

17
Jan12

Gaia - Gondomar pela marginal

daraopedal

Ainda tenho por aqui uns relatos em atraso e este é um deles.

Esta voltinha serviu para aproveitar o último dia de verão (21 de Outubro?!) de 2011.

Com saída de Gaia, o objetivo era conhecer a "nova" ciclovia de Gaia.

Partida do tabuleiro superior da ponte D. Luís.

E descida expresso até ao tabuleiro inferior.

O caminho era o mesmo do barco: rio acima.

As margens estão, como é hábito, sempre repletas de pescadores. Para evitar o slalom entre as canas, mais vale ir pela estrada.

Quem vê, nem diria que estas muralhas são do Porto.

Mais um passeio das pontes. Só na foto são três: Ponte do Infante, Ponte D. Maria e Ponte de S. João.

Das três, sem dúvida que a ponte D. Maria é a mais bonita.

O facto é destacado por quem sabe.

O ciclista a pousar para a foto?

A mais feia de todas as pontes que atravessam o rio: a ponte do Freixo.

Um belo jogo de reflexos.

A ponte do Freixo corresponde na verdade a duas pontes paralelas uma a outra. A base do pilar é frequentemente aproveitada por uma colónia de corvos marinhos.

Marina do Freixo.

Depois de passar a zona do Museu da Imprensa e da Pousada do Porto, cheguei à zona da fábrica de rações (?) e desci finalmente até ao cais, onde se inicia a ciclovia.

Ciclovia e ponte do Freixo.

Barcos ancorados nas margens.

Esta é a sinalização existente nalguns dos pontos de maior destaque ao longo da ciclovia.

O percurso é partilhado com os transeuntes e obriga, obviamente, ao respeito mútuo.

Em alguns locais existem estruturas para estacionar as bicicletas, no entanto esta configuração dos suportes não é a mais adequada.

Dentro do "edifício da sentinela" e com vista para o Freixo.

Travessia da ribeira.

Acesso a mais um dos parque de apoio pela esquerda e continuação da ciclovia pela direita.

Na zona da Lavandeira.

Chegada ao jardim das plantas aromáticas.

Aqui está uma que uso muito! Infelizmente, esta é uma das poucas placas que resiste. Muitas já foram arrancadas por vândalos.

small boat...

biiiig boat!

Este pequeno passadiço leva um pequeno banco de pedra que deve ser das primeiras zonas a ficar rodeada de água quando o nível do rio sobe.

A vista para montante a partir do banco.

Anfiteatro do Douro.

Maisa frente existem estruturas de apoio a outras atividades desportivas ligadas ao rio.

Núcleo histórico de Granido.

Estas "varandas" fazem-me curiosamente lembrar a zona da praia dos pescadores em Albufeira.

Existe ali um café e posso garantir que o dia era ideal para estar na preguiça na esplanada.

Junto a algumas casas, existem marcas dos níveis de cheias anteriores. É impressionante, uma vez que o rio corre quase uma dezena de metros abaixo.

E é o fim. A ciclovia acaba aqui, sem saber se um dia irá ter continuação.

My preciousss....

Sol em fim de tarde no Douro.

Outra sinalética existente na zona são estes pequenos pinos. A parte inferior marca Entre-os-Rios. Será que um dia a ciclovia irá chegar lá?

A casa branca de Gramido foi o palco de um momento histórico: a assinatura de um acordo que pôs fim a uma insurreição durante as lutas entre Setembristas e Cartistas, na guerra civil de 1846-47.

Anfiteatro sobre o Douro "de ouro". Priceless...

Regressando ao ponto de partida.

Pôr do sol.

Um observador atento.

A vista para a Pousada do Porto, no palácio do Freixo.

Um outro aspeto da pousada.

Pouco antes da ponte de S. João existe esta placa assinalando mais um momento marcante da história do Porto e do Douro.

De nov, seguindo o barco, mas agora Douro abaixo.

Ponte D. Luís.

Duas pontes!

O metro, o barco, o rio e a ponte para unir tudo.

Barcos Rabelo no cais de Gaia.

Vista para o Porto.

Foi um belo fim de tarde que serviu para despedir-me do verão. Agora que andamos cheios de casacos, sabe bem lembrar o calor e o bom tempo que se fez sentir.

Boas pedaladas

daraopedal