Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

daraopedal.pt

daraopedal.pt

17
Jul12

Do Porto a Vila do Conde pelo Caminho de Santiago da Costa

daraopedal

Mais uma voltinha de bicicleta, desta vez do Porto até Vila do Conde à descoberta do Caminho de Santiago pela costa.

Passagem de bicicleta pela Ponte da Arrábida.

Descida por ali até à beira-rio.

Daí segui até à foz do Douro.

Foto para a posteridade.

Passagem pela praia do Castelo do Queijo.

Uma paragem para o almoço!

A partir do largo do Sr. do Padrão encontrei as habituais setas amarelas que fui seguindo.

Passagem pelo que resta da Capela de Stº Amaro, à entrada da ponte móvel de Matosinhos.

O porto de Leixões a partir da ponte móvel.

No calçadão de Matosinhos, junto às piscinas das marés de Siza Vieira, mais uma marca.

Logo à frente, cruzei-me com peregrinos.

Passagem pela capela da Boa Nova.

No passadiço de madeira, voltei a encontrar as setas.

Passagem junto à refinaria de Matosinhos.

Nova ciclovia junto ao Cabo do mundo.

Mais adiante a mesma ainda não está concluída.

É só seguir a seta.

Na zona das dunas da Praia da Memória.

Com o seu famoso obelisco.

Mais adiante, voltei a encontrar dois peregrinos. Aproveitaram para tirar fotos na praia.

Na praia da Agudela, mais uma seta.

Passagem pela zona piscatória de Angeiras.

Passagem pela ponte do rio Onda.

Mais adiante, o caminho leva a uma zona de praia, o que obriga a andar pela areia, dificultando um pouco a progressão.

Na passagem pelo VG, a seta está ali no chão, no passadiço de madeira.

Capela de S. Paio.

Nesta zona existem vários vestígios arqueologicos, do Castro de S. Paio.

Passei por uma curiosa casa... O Gaudi de Vila Chã (Mais infos aqui).

Uma foto num dos edifícios retrata a vida dos pescadores em tempos idos.

Acabei por chegar à zona da Reserva Ornitológica do Mindela, onde se passa por uma ponte de chapa que faz lembrar uma existente acima de Ponte de Lima.

Nesta zona, o trilho faz-se em single-track.

Ao longo do percurso, os edifícios religiosos são uma constante, pois eram eles que serviam de ligação nas etapas do percurso.

Cheguei ao local que mais gostei nesta pequena volta: a Igreja de Azurara.

Este foi sem dúvida uma bela surpresa, quer pelo traço arquitectónico do edifício, quer agradável envolvente do local.

As vistas a partir da igreja permitem observar a foz do rio Ave.

Continuando pelas ruelas históricas.

Chegada à ponte sobre o rio Ave.

Vista do Ex-libris de Vila do Conde: o Mosteiro de Santa Clara.

Esta foi uma pequena volta muito agradável saboreando a brisa à beira-mar num dia de muito calor. Foram cerca de 36 km na ida, que acabaram por ser 51 com uma peripécia no regresso.

Boas pedaladas

daraopedal