Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

daraopedal.pt

daraopedal.pt

Gaia - Espinho (ao sabor da nortada)

28.07.11 | daraopedal

 

Em fim de tarde, nada como aproveitar a nortada para pedalar de Gaia até Espinho pela costa.

Ainda não há ciclovia ao longo de todo o percurso, mas segundo um notícia recente, parece que vai haver obra depois do verão e no próximo ano, esperemos que esteja já pronto.

Junto à capela do Sr. da Pedra.

A meia-laranja da praia da Granja.

Em Espinho junto ao FACE.

Para vencer a nortada, nada como uma viagem de comboio :-D

Boas pedaladas

daraopedal

Corredor Ecológico de Valongo

22.07.11 | daraopedal
Já tinha ouvido falar do Corredor Ecológico de Valongo, mas, apesar de passar frequentemente nessa zona, nunca tinha parado para perceber onde era. A informação na net diz que é recomendado para bicicletas, então lá fui eu à descoberta. A conclusão que retiro é que nem sempre nos podemos fiar no que dizem. Se esta iniciativa é inegavelmente uma mais valia para a população local, a verdade é que não foi pensado para pedalar. Com efeito, apresenta muitas escadarias e desníveis que obrigam a apear-nos e seguir com a bicicleta à mão. Na generalidade, o percurso é agradável e muda de forma radical ao longo de toda a sua extensão, inicia com numa modalidade urbana, que não desilude pois mantém características agradáveis e afasta-se na medida do possível de algumas zonas mais movimentadas, ligando o Parque Radical (Não muito longe das portagens da A4) ao Parque da Cidade. Depois, passa para um aspecto mais rural e florestal. Neste último caso, a saída da cidade dá lugar às paisagens da serra de Valongo e acompanha o curso do rio Ferreira.
Ao longo do percurso passamos por alguns locais de assinalar como o Fojo das Pombas (antiga mina romana de ouro) ou a aldeia de Couce, que mantém ainda um aspecto bastante rural. Também é agradável a zona junto à ponte de Couce sobre o rio Ferreira, embora o aspecto do rio deixe a desejar devido à poluição. Na parte final, o percurso é circular e volta à Ponte de Couce. Nesta zona é de assinalar a subida existente no local que ainda custou um bocado a fazer com a bicicleta às costas. No total, o percurso tem cerca de 9 km, que acabam por ser mais se tiverem de voltar ao ponto de partida, como foi o caso. Deixo aqui o link para o track GPS que encontrei no Wikiloc.
Deixo então as imagens do percurso.
Boas pedaladas
daraopedal

O regresso à Freita

19.07.11 | daraopedal

Por incrível que pareça, já há mais de um ano que não pedalava na Freita! Inadmissível!

Então lá voltei eu ao meu "playground" preferido para uma voltinha que me soube muito bem!

Comecei no planalto e segui em direcção à zona do Vidoeiro, cuja vegetação densa se distingue bastante do resto da serra.

A vista do alto do Vidoeiro, com a densa floresta aos meus pés.

A vista para Noroeste, com o parque eólico em pano de fundo.

O Marco geodésico que marca a separação do limite do concelho de Arouca do de S. Pedro do Sul.

Lá desci novamente pelos bosques.

No fundo, no início do bosque.

Dirigi-me então pelo percurso do PR15 em direcção à Portela da Anta.

Nesta zona, rasgaram recentemente um novo caminho paralelo ao já existente.

Aqui, a arouquesa estava curiosa...

... até que se fartou e virou-me o ... ;-)

O trilho está bastante modificado.

Lá cheguei à pequena ponte da Portela da Anta, atravessando o Caima e segui as marcas do GR28 em direcção a Albergaria da Serra.

Passagem junto à zona de banho de Albergaria da Serra, onde não faltava gente.

Mais uma visita ao miradouro da Mizarela. Nunca me canso desta paisagem!

Segui então pelo caminho da meia encosta, que começa na estrada entre o parque de Campismo e o Merujal.

As vistas sobre a encosta da serra.

O trilho está muito mau. As giestas estão praticamente a abafar a passagem. Em certas zonas, só baixando a cabeça e pedalando contra a vegetação.

Depois da passagem pelos viveiros da Granja, descida por Chão de Espinho e Espinho até perto do Espinheiro (parece tudo igual) e descida para Arouca.

Foram cerca de 31km e que bem que me soube!

Boas pedaladas

daraopedal

Pelo Baixo Vouga lagunar

04.07.11 | daraopedal

 Para o último percurso decidi ser ecológico e deixar o carro em casa. Nada como aproveitar o comboio para viajar barato: nada de combustíveis para pagar, nada de portagens, só vantagens.

O destino foi a zona de Aveiro, mas precisamente Cacia, para realizar um pequeno percurso à descoberta da zona do Baixo Vouga Lagunar. Chegámos à estação de Cacia ao início da tarde, depois de uma viagem muito tranquila, visto que os comboios suburbanos permitem o transporte de bicicletas.

Passámos junto à Portucel de Cacia, cuja produção de pasta para papel deixa um distinto aroma no ar...

Tivemos de seguir uns metros pela EN109, que voltou a ter um transito intenso desde o início das portagens das Ex-SCUT.

Felizmente foram poucos metros e ainda deu para apreciar as vistas sobre o rio Vouga...

... e logo a seguir à ponte, acabaríamos por encontrar o início do trilho, num largo do lado oeste da estrada. Seguimos pelo trilho fora, que é todo num piso de terra e pedra, muito bom para andar de bicicleta.

Uma paragem para apreciar outra perspectiva da fábrica da Portucel e o que parece ser o seu açude de captação de água.

A vista sobre o Vouga para jusante, com a ponte da linha de comboio do Norte.

Acabaríamos por alcançá-la e passar por baixo.

O pequeno grupo a pedalar.

A natureza pintada de verde e amarelo.

Outra perspectiva.

Os campos de cultivo encontravam com milho verdejante, na esperança de uma boa colheita.

O caminho é sempre assim, completamente plano, salvo alguns buracos criados pela passagem de tractores agrícolas.

Porque esta zona também é região de intensa actividade pecuária, vimos várias vacas a pastar tranquilamente.

E também fomos surpreendidos por um grupo de cavalos que tivemos de ultrapassar com cuidado para não levar um coice.

Chegámos então à zona do Esteiro de Canela...

... e na zona da ponte velha, decidimos fazer também o percurso do Ria Jardim.

Um percurso que conta com vários painéis informativos sobre a fauna e a flora da zona.

A vegetação é típica da zona de esteiros.

As terras são também muito férteis, daí o seu uso para a agricultura e pecuária.

O percurso localiza-se junto à linha do norte e ainda deu para ver dois alfas pendulares a cruzarem-se a grande velocidade.

Pedalando ao longo da linha.

Mais vegetação típica da zona.

Um T0 para cegonhas por ocupar. Este tipo de ave é muito comum nesta zona.

Verde mais verde não há!

Os juncos também crescem muito na zona.

Chegámos então à torre de observação, que fica no centro da área delimitada pelo percurso do Ria Jardim.

A vista, lá do alto.

Deu para ver outro pequeno grupo de ciclista por quem tínhamos passado.

Passagem junto ao apeadeiro de Canelas.

Alguma sinalização dos percursos existentes na zona.

Chegados à zona do percurso do Bocage, voltámos a encontrar o Esteiro de Canela, que fomos seguindo para voltar ao trilho inicial

Seguindo o Esteiro para Oeste numa margem...

... e depois na outra margem!

Alcançámos então uma zona de encontro de vários esteiros: o de Canela, mas também o de Salreu e o da Barbosa.

Ainda deu para apreciar um dique existente para controlar a subida de níveis das águas e impedir as inundações, que são frequentes na zona durante invernos mais rigorosos.

Uma perspectiva de uma vegetação diferente.

Encontrámos mais animais em terra...

... e nos ares!

Foi um percurso de cerca 21,5 km sem dificuldade, por isso óptimo para levar alguém menos experiente para um agradável passeio.

Podem encontrar o trilho na minha conta do Wikiloc, cujo widget está na margem direita do blog.

Boas pedaladas

daraopedal

Ecopista do Dão inaugurada

04.07.11 | daraopedal

Foi inaugurada a maior ciclovia do país com cerca de 50km: a Ecopista do Dão, que liga Stª Comba Dão a Viseu, passando por Tondela, pela antiga linha de caminho de ferro. É certamente uma mais-valia para o incentivo à prática de desporto, em especial o ciclismo. Espero ainda este ano poder conhecer esse trajecto.

 

Deixo aqui a notícia retirada do público:

"É inaugurada hoje a ecopista do Dão, que liga os concelhos de Viseu, Tondela e Santa Comba Dão, através do ramal ferroviário do Dão desactivado. Trata-se da maior ecopista do país, com meia centena de quilómetros, incluindo os 7,5 inaugurados há quatro anos no concelho de Viseu, desde a cidade até à localidade de Figueiró.

A obra custou cerca de cinco milhões de euros. Três milhões foram financiados pelo Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN). Os restantes dois milhões foram divididos pelos três municípios envolvidos. No percurso, sem trânsito automóvel, é possível correr, caminhar, andar de bicicleta .
Os cerca de 50 quilómetros da ecopista do Dão incluem vários pontos de interesse, nomeadamente um desfiladeiro, pontes e túneis. A partir de agora, cada autarquia deverá requalificar todos as antigas estações e apeadeiros para que possam ser depois colocados à disposição das associações dos três concelhos.
Nos últimos anos, depois de terem sido inaugurados os cerca de oito quilómetros da ecopista, no concelho de Viseu, as casas que se encontram nas proximidades foram reparadas e os jardins bem tratados. "Foi um bom elemento de requalificação, além de tratar do corpo das pessoas que a utilizam", realça o autarca de Viseu, Fernando Ruas."

 

Coloco ainda um vídeo que encontrei no blog mobilidadesuave, que dá uma ideia do percurso.